quinta-feira, 28 de março de 2013

Pequeno resumo do trânsito paulistano


O trânsito de São Paulo é mesmo fascinante.

O pedestre acha que pode atravessar a rua fora da faixa, com o semáforo fechado para ele e enfrentando os carros, ou circular livremente entre os veículos em ruas com comércio um pouco mais movimentado (como a Santa Ifigênia, por exemplo). Se um veículo, seja ele moto, bicicleta ou carro buzina para ele, ele xinga e acha ruim.

Aí o mesmo pedestre chega em casa e pega a bicicleta para dar uma volta. Imediatamente ele acha que pode circular na contra-mão, andar com a bicicleta sobre a calçada, avançar sobre os pedestres, bater no espelho dos carros e disputar espaço com os motoboys. Se algum pedestre atravessar a rua fora da faixa, com o semáforo fechado para ele ou circular livremente entre os veículos numa rua com comércio um pouco mais movimentado, é dever do pedestre agora convertido em ciclista xingar os ex-pares e se possível, ameaçá-los de agressão física. Afinal, 'pedestre é tudo folgado'.

Ao voltar pra casa nosso herói descobre que precisa despachar um documento. Como o trânsito da cidade é um inferno, ele chama um motoboy. Exige pressa, óbvio, afinal tempo é dinheiro e a culpa é toda do motoboy se ele se esqueceu de despachar o documento assim que acordou.

Duas horas depois este pedestre/ciclista pega o carro para ir ao mercado, convertendo-se em motorista. Ao assumir o volante, todos ao redor tornam-se ameaça: os pedestres filhos das putas só sabem atravessar fora do lugar e esbarrar em seu espelho, os ciclistas andando na contra-mão estão pedindo para morrer e os desgraçados dos motoboys (aqueles filhotes de Satã, que não sei onde vão com tanta pressa) xingam, espremem e arrancam espelhos por onde passam. Cada centímetro da rua conquistado agora lhe pertence. Se alguém dá seta indicando que vai passar à sua frente, ele obviamente acelera e joga o carro em cima, afinal a rua é seu território e sua SUV com insul-film até o teto é seu porto seguro, seu bunker sobre rodas.

Chegando ao mercado, nosso herói estaciona numa vaga destinada à idosos. Depois de fazer suas compras, aproveita que já está ali mesmo e vai até a banca de jornais do outro lado da avenida. Obviamente atravessa a avenida com o semáforo fechado para ele, sambando entre os carros e praguejando contra aqueles motoristas filhos das putas que não dão passagem para ele, os cornos dos ciclistas que acham que estão na Holanda e os putos dos motoboys que não respeitam os pedestres. 

Na saída do mercado, atropela um motoboy que cortava o trânsito pela calçada. Uma turba de motoboys pára e vira a SUV de nosso herói em solidariedade ao 'vida loka' abatido. Nosso amigo resolve ir a pé para casa, pensando que deveria ter ido ao mercado de bicicleta.

sábado, 28 de agosto de 2010

No mercado

Diálogo rápido com o balconista do açougue do Extra da Av. Brigadeiro Luís Antônio, próximo à Av. Paulista:

- Tem carne moída aí?

- Tem sim sinhô.

- Tá, e quanto tá o quilo?

- R$19,00.

- Cacete, tá caro. Que carne é essa? Picanha?

- Patinho, sinhô.

- Puta que o pariu, tá caro pra caralho. E a alcatra, quanto tá o quilo?

- R$13,90 , sinhô.

- Então pega esse pedaço de um quilo e meio de alcatra e mói pra mim, por favor.

- Não pode, sinhô.

- Como assim não pode, caralho?

- Não pode. Carne moída é só essa que já tá embalada.

- Absurdo. Pode me dizer o porquê disso?

- É que não pode, sinhô.

- Que não pode eu já entendi, amigo. Só quero saber o motivo. Existe alguma explicação razoável para o fato de uma carne pior estar mais cara só por estar moída, e vocês se recusarem a moer a peça que eu quero?

- (balançando a cabeça) É que não pode, sinhô.

- Sim, cara. Já entendi que não pode. Mas te falaram o porquê de não poder, ou simplesmente já era assim quando você chegou e pronto?

- Num pode não.

- Cara, eeeeu (apontando o dedo indicador da mão direita pro meu peito) jááááááááááá (fazendo "joinha") entendi (balançando a cabeça afirmativamente e fazendo joinha) que nããããããããããão pooooode (balançando a cabeça negativamente) moeeeeer (girando a mão direita fechada contra a palma da mão esquerda) a carneeeee (pegando as jóias da família, para horror da velhinha que estava à procura de uma boa promoção de Acem). Só quero entender por que caralho nenhum filho da puta pode moer uma porra de um pedaço de carne para mim!

- É que não pode não.

- Ah, tá bom. Obrigado.


E fui embora. Como diria o Charlie Brown, "e eu ganhei uma pedra".

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Epitáfio

"Vim, vi e perdi."


Ricardo Gomes (20/06/2009 - 06/08/2010).

Que seja só o início de uma profunda reformulação no São Paulo.

E agora, José?

Evoco um fragmento de um poema conhecidíssimo do grande Drummond para abrir este post:

A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ?
e agora, você ?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José ?


Inter faz festa no Morumbi. E agora?


Sobre o jogo, algumas considerações:

- O São Paulo hoje entrou para jogar com a camisa e vontade, e só. Do outro lado, um time com proposta de jogo bem definida e razoavelmente treinado, mesmo que por um treinador meia-boca. Deu a lógica.

- Dagoberto é um lixo humano. Tem que ser escorraçado do Morumbi a pontapés. Que devolvam esse escrotossauro pro Atlético/PR acompanhado de uma moeda de R$1,00 e um pedido de desculpas.

- Graças a Deus é o fim de Ricardo Gomes no "comando" do SPFC, para mim simplesmente o pior técnico que já vi no comando do clube. Um colosso. Aliás, monsieur, aproveite e leve o Juvenal com você, junto com Adalberto Baptista, Leco e Marcao Aurélio Cunha. Vocês se merecem.

- Ainda sobre a diretoria, que belíssima camisa a de hoje, não? Quero ver quem vai ter a CARA DE PAU de falar alguma coisa a respeito do abadá alvinegro depois de hoje, onde só não vendemos o espaço do escudo porque ninguém pensou nisso antes. Não evocam o estatuto para impedir mudanças na camisa? Então como diabos permitem um estupro dessa magnitude com nosso uniforme, onde tivemos patrocínio até na bunda dos jogadores?

- Resultado final foi justo, dado o papel ridículo a que o São Paulo se submeteu semana passada. Doído, mas justo. Passou o time que jogou algum futebol nesses dois jogos, mas triste mesmo foi ver o "treinador" dizendo que o time jogou mal semana passada como se ele não tivesse nada a ver com isso.

- Tomara que um ciclone varra o Morumbi amanhã e leve a meia-dúzia que se acha maior que o clube com ele. Miranda, Dagoberto, Richarlyson, Cléber Santana, Marcelinho Paraíba e Carlinhos Paraíba: o RH é na segunda porta à esquerda.

- Agora é trabalhar para se segurar no Brasileiro, e depois tentar ver no que dá. A ressaca dessa eliminação vai ser braba. 

- O capitão não merecia passar por isso. Nem Alex Silva.

Ânimo, torcida tricolor. Juvenal não vai viver para sempre. O mal passa. O São Paulo fica.

Um abraço.


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O malandro e os otários

Botafogo 3x1 Vitória. Mas o jogo em si é o que menos importa.

Quer dizer então que o Botafogo ganhou o jogo hoje com dois gols do Jobson, aquele que deveria estar suspenso por ter sido pego em dois exames anti-dopping ano passado? Aquele que pegou dois anos de gancho (mas acabou cumprindo só seis meses) e que teve exame positivo para cocaína mas surpreendentemente alegou ser usuário de crack, cuja presença não foi detectada em seu organismo?


Jobson exibindo todos os sintomas de um viciado em crack.


Meu amigo @ricardomalta tem um ponto de vista bem interessante a respeito do assunto:  a sociedade em geral considera um usuário de cocaína alguém que merece ser punido porque cocaína é "droga de rico", enquanto o usuário de crack é visto como alguém doente e que precisa de tratamento. Ou seja, ao invés de dopping temos um problema social onde alguém precisa de ajuda e não de punição. Perfeito!

Olha, já vi usuário de crack. Jobson não tem nenhuma característica física de quem é viciado em crack, como ele alegou. O crack é a mais destrutiva de todas as drogas que conheço, não há a menor condição de um atleta profissional ser viciado em crack - note bem, eu disse viciado, não usuário eventual - como ele alegou ser.

Para ficar clara a falta de critério do STJD, uma comparação simples: Hugo deu uma cusparada em um jogador do Paraná Clube em 2007 e pegou os mesmos 180 dias de gancho do Jóbson, sem direito à redução de pena ou efeito suspensivo. Ou seja, tanto faz dar uma cusparada, um soco, cheirar ou fumar crack: a pena é exatamente a mesma.

Resumo da ópera: o malandro se deu bem. Já os otários somos nós, que acreditamos em coisas bobas como o cumprimento de regulamentos e leis e ainda ficamos indignados quando usam dois pesos e duas medidas. Safadeza nesse país é regra, não exceção. A moral da história é que vale a pena ser desonesto no Brasil, infelizmente.

Lamentável.

domingo, 1 de agosto de 2010

Adivinhem quem voltou?

Alguns pitacos rápidos sobre o Grande Prêmio da Hungria, vencido neste domingo por Marketing Webber:

- Alguém aí entendeu a punição dada ao Vettel?

- O ídolo de meu amigo @RicaPerrone voltou a dar as caras hoje. Depois de jogar o Massa para fora da pista um par de corridas atrás, hoje o alemão homicida quase provoca uma tragédia em uma luta pelo... décimo lugar. Impressionante como é só começar a andar atrás para o Schumacher começar a aprontar das suas.


Isso não é defesa de posição, é tentativa de homicídio.



- Não, não gosto do Barrichello. Mas a manobra do Schumacher foi de uma sujeira danada, merece punição e foi punida com a perda de 10 posições no grid na próxima corrida. (atualizado)



Quer vê-lo nas pistas? Dê um carro ruim a ele.


- Eu não estou psicologicamente preparado para ver um piloto meia-boca como Mark Webber se tornar campeão do mundo. O conceito de "estar no lugar certo na hora certa" nunca fez tanto sentido quanto em 2010.

- Falando em psicologia, Sebastian Vettel precisa de um analista. É muito mais rápido e talentoso que Webber, mas precisa começar a converter esse talento em vitórias, pois se o australiano ganhar mais duas ou três, o alemãozinho vai ter que trabalhar para ele.

- A Ferrari aparentemente melhorou mesmo, enquanto a McLaren andou para trás nas últimas duas corridas.

- Não vejo como o título escapar da Red Bull, em condições normais. O carro que Adrian Newey fez este ano é um assombro, está em outra categoria.

- F-1, agora, só no fim do mês. Até lá!

O guru infalível

O nome é Milton Cruz, mas pode chamar de Guru.

Há 21 anos é dono do melhor emprego do mundo, pois aos olhos do torcedor parece que tem salvo-conduto para cometer as maiores atrocidades em sua função principal sem ser cobrado por isso. Indicações pra lá de questionáveis, birra com as categorias de base do clube e um certo comodismo até natural para quem já está há duas décadas no clube. Não seria hora da tão desejada "renovação" do elenco passar por ele também, assim como por alguns membros da tão bem-falada Comissão Técnica Permanente?


O que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde.


"Ah, mas ele 'descobriu' o Miranda", irão dizer alguns. Sim, assim como ele também 'descobriu' Rondón, André Luís, Carlinhos Paraíba, Léo Lima, Michel, Roger, Vélber, Eder Robocop, Fábio "Vida Loca" Santos, Joílson, Juninho, Wagner Diniz, Jadílson, Jancarlos e por aí vai. E isso aparentemente ninguém vê, ninguém questiona, ninguém cobra.

Acho curioso o fato dele indicar uma tonelada de lixo nos últimos anos, que onera o clube, sem que ninguém o cobre sobre isso. E também não consigo engolir o fato de contratarem porcaria pra cacete todos os anos enquanto as categorias de base estão mofando lá em Cotia, ou alguém aí duvida que qualquer zagueiro da base seria no mínimo no mesmo nível de um André Luís da vida?

Falando em duvidar, começo a duvidar da história de que só o Muricy não gostava das categorias de base, pois o ogro foi embora e o descaso continua praticamente o mesmo. Essas últimas "promoções" ao elenco principal tem muito mais cara de "sossega leão" devido às últimas ações trabalhistas contra o clube do que planejamento propriamente dito.

Finalizando, só eu achei incompatível a função de "olheiro" com o fato de seu filho ser empresário de jogadores? Alguém viu a ética por aí hoje?

Da série "Conselhos úteis" - Trânsito

Mas também poderia fazer parte da série "Coisas que me emputecem".

Aproveitando que hoje é domingo (dia em que os melhores motoristas do Brasil saem para dirigir), compilei uma pequena lista de sugestões para um trânsito melhor; afinal, quando você pega um carro e sai pelas ruas de uma cidade caótica como São Paulo, supõe-se que em algum momento você precisará interagir com outro motorista, e é interessante que você saiba o que fazer diante de algumas situações:

- Se você não sabe para onde está indo, ande na faixa da direita, e preferencialmente pare e pergunte. Motorista perdido normalmente faz merda.

- Se você mesmo precisar atender o celular, encoste o carro. Motorista falando no celular normalmente faz merda.

- Você não paga para dar seta, e esta é um item de série de seu carro. Sinalize para onde você pretende ir, pois os outros motoristas provavelmente não tem poderes paranormais para adivinhar que diabos você pretende fazer.

- Se você, folgado filho da puta, ocupou duas ou mais vagas para estacionar na Zona Azul ou em algum Shopping Center, fique sabendo que você poderá ter um pinto desenhado com uma chave de fenda no capô de seu carro. E a quantidade e variedade deles (alados, étnicos e etc) é diretamente proporcional ao valor do seu veículo.

- Você não fica mais ágil, mais rápido, mais bonito, mais esperto ou dirige melhor depois de encher a cara. Os pneus de seu carro não ganham mais grip, e os freios também não se tornam ABS depois de uma dúzia de caipirinhas do Veloso. Cuidado.

- Se você viu que o semáforo posicionado 300 metros à sua frente fechou, não fique andando a 10km/h para que ele abra novamente até você chegar nele. Quando você sai na rua, outras pessoas estão lá com você. Você atrapalha a vida dos outros fazendo isso. Se você toma essa atitude filha da puta, obrigará o motorista que está atrás de você a andar nos mesmos 10km/h e assim sucessivamente, criando um gargalo de tráfego e um congestionamento desnecessário nos quarteirões atrás de você, num efeito cascata infernal que pode foder a vida de todo mundo. Essa é uma das coisas que mais me irritam na face da terra.

- Se você faz pirraça com outros motoristas na rua, assuma o risco de apanhar ou levar um tiro. Mundo cão, meu amigo, mundo cão.

- Se o semáforo abriu, ande. E rápido, de preferência.

- Se o semáforo amarelou e você está em movimento, veja se você está em cima da faixa contínua que existe imediatamente antes do cruzamento. Se estiver, passe. É pra isso que ela foi feita.

- Se o semáforo fechou, não pare a 10 metros de distância do carro da frente.

- Essa também é importantíssima: se a via tem radar apontando que a velocidade máxima é de 60km/h, não precisa passar a 20km/h "só para garantir". A CET é uma empresa filha da puta, mas normalmente não coloca o radar calibrado na velocidade errada só para sacanear.

- Se você é motorista de ônibus, ande na faixa da direita. Se você é caminhoneiro, idem. Se você é taxista, azar o seu.

- Falando em taxistas, nada me irrita mais do que taxistas-mendigos. São aqueles que andam a 20km/h de propósito quando carregam algum passageiro para fazer o semáforo à frente fechar e a corrida ficar alguns centavos mais cara.

- Se você resolver andar a 30km/h na faixa da esquerda da 23 de Maio porque está simulando sexo oral em um cigarro, saia da porra da faixa da esquerda. Pode ter alguém atrás de você que realmente tenha alguma coisa importante para fazer na rua e dependa de horários, ao contrário de Vossa Majestade. Aproveitando, coloque esse braço para dentro do carro, pois além de ser contra a lei, um motoqueiro pode passar por você e arrancá-lo.

- Falando neles, se você é motoboy e anda buzinando pelo corredor arrebentando espelhos, um dia você pode virar estatística. Especialmente se chutar a porta do meu carro.

- Se você está na velocidade máxima permitida para a via, na faixa da esquerda, e mesmo assim tem alguém querendo ultrapassá-lo, dê passagem assim que for seguro. Você não sabe o que pode estar acontecendo com o motorista do carro que está atrás. E de qualquer maneira você não é guarda de trânsito, se o outro motorista quiser andar acima do limite da via é problema dele.

- Agora, se você é o imbecil que está atrás de mim querendo ultrapassar, não adianta ficar buzinando, andar colado em meu carro ou ficar dando seta ou sinal de luz alta feito um retardado. Eu provavelmente já vi você e irei dar passagem assim que considerar seguro. Ficar me enchendo o saco só vai me irritar, e pode fazer com que eu enfie o pé no freio sem querer na sua frente.

- Falando em encher o saco do motorista ao lado, se você está em uma avenida e viu que o motorista ao seu lado está dando seta para entrar, não acelere, seu filho da puta! Deixa o cara passar!

- Seu carro não é um caminhão. Se você está em um corredor onde todos os outros carros de tamanho parecido já passaram, o seu carro também irá passar. A não ser que você tenha tomado LSD e saído para dirigir, a realidade não se altera de uma hora para outra.

- Para você, mulher: não jogue o carro na frente dos outros, especialmente se estiver saindo de algum estacionamento. As pessoas vão deixar você entrar.

- Essa também é para você, mulher: se alguém sinalizar, deixe entrar. Não seja filha da puta. Não finja que não me viu, pois eu sei que você viu.

Ainda sobre mulheres, e para fechar o assunto, existe um princípio infalível no mundo masculino chamado Princípio da Compensação Peniana. De maneira bastante resumida, quanto menor e menos funcional for o peru do cavalheiro, maior, mais caro e mais equipado será o carro dele. Existem longos textos tratando da matéria, evoque São Google e leia mais sobre o assunto.

Pois bem. Existe um equivalente feminino ao PCP chamado Princípio da Insegurança Feminina que rege o seguinte: quanto pior, mais insegura, mais idiota e mais folgada for a motorista, maior a porra da SUV que ela irá dirigir. É um bunker sobre rodas, quase um caminhão. Não sei porque diabos deixam vender essas merdas pra essas filhas das putas, o conjunto mulher + SUV gigante é uma ameaça sobre rodas.

Então, se você conhece alguém que tem um caminhão travestido de veículo de passeio para "se sentir mais segura", por favor avise-a que um dia desses ela ainda vai acabar apanhando de alguém na rua e tendo sua SUV de 150 paus destruída por um extintor de incêndio ou porrete de poder de destruição equivalente ou superior. Um carro gigante não é salvo-conduto para fazer merda e sair jogando o carro em cima de Deus e o mundo na rua como se fosse uma partida de GTA San Andreas.

Definitivamente, não tenho mais paciência para dirigir no trânsito de São Paulo.

Bom domingo a todos.

sábado, 31 de julho de 2010

Tá, melhorou alguma coisa. E aí?

Resumo da partida:

O São Paulo bateu o Ceará por 2x1 numa partida tecnicamente muito fraca e com passes errados aos borbotões. A equipe ao menos teve a decência de mostrar um pouco de vontade, mas ainda é muito pouco para um clube do tamanho do São Paulo.

Ricardo Gomes e sua luta solitária contra a guilhotina.

Não há muito mais o que falar do confronto contra o Ceará. O São Paulo joga o ano na próxima quinta-feira, pois se perder a vaga, não terá muito o que fazer no restante do semestre. O elenco, que já não é lá essas coisas, deverá sofrer um pequeno desmanche em breve com as partidas de Hernanes, Miranda, Jorge Wagner, Marcelinho Paraíba e Dagoberto, e as últimas contratações da diretoria tricolor não empolgaram ninguém. Não vejo condições do São Paulo, com o elenco atual, buscar o título brasileiro este ano, ou mesmo uma vaga na Libertadores/2011. Se perder na quinta, é Copa do Brasil ano que vem.

Isso sem contar a situação de monsieur Gomes, que deverá ter a cabeça cortada mesmo em caso de vitória na Libertadores. Esse é outro que deve estar dormindo super bem nas últimas semanas; apesar de considerá-lo incompetente, não gostaria de estar na pele dele.

A grande pergunta que fica é: como será na quinta-feira? Vai ser na bola, na vontade, ou vamos servir de bucha de canhão de novo sem reclamar?

Porque o que vimos hoje não é parâmetro para muita coisa...

FICHA TÉCNICA: 

SÃO PAULO 2 x 1 CEARÁ

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Xandão (Fernandão), Alex Silva, Miranda e Junior Cesar; Jean, Hernanes, Cleber Santana e Marlos; Fernandinho (Dagoberto) e Ricardo Oliveira (Casemiro)
Técnico: Ricardo Gomes
CEARÁ
Diego; Oziel, Anderson, Fabrício e Ernandes; Heleno (Aílton), Careca, João Marcos (Erick Flores) e Geraldo (Tony); Misael e Washington
Técnico: Estevam Soares

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Data: 31/07/2010, sábado
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR/Fifa)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Bruno Boschilia (PR)
Público: 11.793 pagantes
Renda: R$ 242.050,59
Gols: Fernandão (São Paulo), aos 21min, Ricardo Oliveira (São Paulo) aos 22min e Erick Flores (Ceará) aos 39min do segundo tempo
Cartões amarelos: Miranda (São Paulo), Geraldo (Ceará)

Adivinhem quem é o novo intocável do time?

Preparem o anti-ácido para quinta-feira.


Que Deus nos ajude.

Aí não, né?

Meu Deus! Libertadores agora é obrigação? Como esse futebolzinho?

Obrigação para quem, cara-pálida?

Sem comentários.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Fritura em fogo alto

Antes de mais nada: não gosto de seu trabalho, acho que falta-lhe preparo para dirigir um time grande e quero vê-lo fora do São Paulo. Mas faz um bom tempo que não acompanho um processo de fritura feito de maneira tão covarde e às claras como o que anda acontecendo com monsieur Ricardo Gomes.

Até ele mesmo já sabe que não irá durar muito no comando SPFC.
 Acompanho quase que integralmente o voto de meu amigo @RicaPerrone nesse caso: a atitude da diretoria na condução deste caso é uma das coisas mais estúpidas e lesa-clube que já vi em toda minha vida. Acho que cabem algumas perguntinhas aí:

- Descobriram só agora que o técnico não serve?
- Por que não mandaram embora quando tiveram oportunidade?
- A diretoria acha realmente que desmoralizar publicamente o técnico irá adiantar?
- Ao invés de fritá-lo e desgastar sua imagem, por que não mandam embora de uma vez?
- Se não querem mandá-lo embora agora, por que não o apóiam publicamente?

Eu acho até desnecessário esclarecer, mas vá lá: desaprovar o trabalho de Ricardo Gomes como treinador (o que é meu caso) é normal e aceitável, mas daí a diretoria passar a desrespeitá-lo publicamente como profissional é completamente diferente. Sim, bom ou ruim, ele é profissional, a direção do clube deve respeito a ele, e eu honestamente não sei o que os cardeais do Morumbi esperar conseguir com essa atitude. Será que acham que o time irá começar a jogar bola num passe de mágica, simplesmente motivado pela ameaça de demissão do comandante?

Foi-se o tempo em que a diretoria do São Paulo era realmente diferenciada. Chega logo, Março de 2011.

Ensaio sobre a cegueira

(ou "por que o São Paulo Futebol Clube não merece ganhar a Libertadores 2010")

Muita gente anda me perguntando que diabos de são-paulino que sou, quando digo que o time não merece passar à final e ganhar a Libertadores 2010. Minha resposta é simples: a administração de Juvenal Juvêncio é desastrosa, nociva ao clube, e um título tão importante simplesmente seria um prêmio à incompetência demonstrada pelo presidende do clube, fazendo com que uma borracha fosse passada nos muitos erros cometidos pelo presidente e sua trupe,e passando a falsa impressão de que há alguma competência na administração tirânica de JJ.

Mas parece que esse argumento é complexo demais para alguns torcedores. Então, vamos ver se eu consigo me fazer entender e enterrar de vez esse assunto, pois ser classificado como "falso torcedor" já está me dando nos bagos.

No início da temporada 2010, assim que os reforços foram apresentados, classifiquei os mesmos de maneira sucinta através da foto oficial da apresentação:


Dois já foram, dois estão indo, e dois na reserva. Planejamento? Planejumento!

Confesso que errei no caso do Fernandinho. Além de ter vindo bichado, ele ainda se revelou um jogador burro e ruim de bola. Mas não é curioso constatar que desses seis que estão na foto, dois já foram embora e dois já estão na fila do RH?

E o que dizer de Cléber "Feijoada" Santana? Veio, fez meia-dúzia de partidas ridículas, pediu para sair e hoje é premiado com inúmeras oportunidades em campo! E Cicinho? Veio a peso de ouro, jogou picas e foi embora antes da semi-final da Libertadores; não custa lembrar que a diretoria havia dito que o contrato dele valeria até a final do torneio, quando na verdade não foi exatamente isso o que aconteceu.

E Washington, o Stecanela? Que teve o contrato renovado no calor dos últimos jogos do ano passado, quando fez alguns gols que no final das contas não valeram nada? O "planejamento" para 2010 foi tão bem-feito que o contrato dele (que sequer deveria ter sido renovado, diga-se) foi rescindido no meio do ano...

O que quero dizer com isso é que o planejamento para a temporada de 2010 foi desastroso, e já estava condenado a partir do momento em que Ricardo Gomenech não foi mandado embora no fim da temporada passada, mesmo após perder o Brasileirão de maneira ridícula. O cara foi catapultado a técnico do São Paulo, jamais havia ganhado alguma coisa relevante na carreira, e mesmo assim Juvenal Juvêncio achava que no Morumbi ele iria finalmente dar certo.

-----

Enquanto isso, no Beira-Rio...

Já do outro lado da semi-final, o Internacional vivia uma Libertadores muito parecida com a do São Paulo antes da parada pré-Copa: tinha um técnico contestadíssimo, o futebol apresentado era horroroso e havia se classificado na bacia das almas mais de uma vez. O que a diretoria colorada fez? Agiu. Mandou o Jorge Fossati embora, contratou alguns jogadores para posições carentes do elenco e sacudiu o ambiente.

-----

Enquanto o Internacional reconhecia o péssimo planejamento para 2010 e procurava colocar ordem na casa, o São Paulo sofria o diabo para despachar o semi-amador Universitário do Peru. Teve um surto de relativo bom futebol contra o Cruzeiro (quando havia o fator-surpresa chamado Fernandão, que ainda não havia sido estragado pelo "professor"), e depois de um mês para finalmente ajeitar o time, voltou jogando um "futebol" parecido com o da Matonense.

Antes da Copa havia tempo de mudar. A diretoria se omitiu.

Logo após a Copa ainda havia tempo de mudar. A diretoria se omitiu.

Após o jogo contra o Prudente, ainda havia tempo de mudar. A diretoria se omitiu de novo.

Após o vergonhoso, nojento e covarde papel que o São Paulo se prestou a fazer na última quarta-feira, ainda há tempo de mudar, mas a diretoria do São Paulo prefere se esconder de novo e deixar a casa cair para só depois fazer alguma coisa.

Eu honestamente fiquei com vergonha de ser são-paulino depois da atuação do time na última quarta-feira. Meu amigo de fé e irmão camarada @diogocfernandes costuma dizer uma frase que cai bem para este momento: para quem só sabe usar um martelo, tudo vira prego. Ou seja, para quem nasceu para treinar Juventudes e Vitórias, não dá para sequer cogitar treinar o São Paulo, pois faltam recursos técnicos e táticos para o educadíssimo Monsieur Ricardo Gomes; se ele é tão educado, acho que o Juvenal Juvêncio deveria contratá-lo para ser assessor de imprensa. Jamais para técnico.

Agora temos um cenário onde o elenco é mal-montado (ou ninguém ainda se perguntou por que temos 3 laterais esquerdos - e mais dois que podem ser improvisados por lá - e nenhum lateral-direito NO ELENCO?), o time está completamente sem comando, onde o presidente se omite e o São Paulo virou uma terra-de-ninguém.

Por isso digo que o São Paulo não merece ganhar essa Libertadores. Faria cair no esquecimento todos os desmandos de um presidente que só cometeu atrocidades no comando do clube, fez a instituição São Paulo passar por um papel ridículo com essa história de Copa do Mundo, administra o departamento de futebol igual à bunda dele e já despachou metade dos "reforços" que trouxe para 2010. Se isso não é sinal de incompetência, não sei mais o que é. Juvenal Juvêncio não merece ser campeão. Sua administração não merece ficar marcada como vencedora após todas as cagadas que cometeu nos últimos anos, mais especialmente em 2010.

Então, finalizando: não ficarei nem um pouco chateado se o Inter passar, pois foi o time que mais se preparou para esta semi-final. Quando precisou de reforços, olhou para dentro de casa e foi buscar nas categorias de base. Pode-se discutir se Celso Roth é um bom nome, se os reforços são de qualidade ou não, mas jamais poderemos dizer que a diretoria colorada se omitiu no momento de crise.

Enquanto isso, no Morumbi...

Blog de volta à vida!

Já que o Twitter é muito pequeno para o rosário de bobagens que escrevo, resolvi reativar este blog em edição extraordinária.